A Consciência de Zeno, Ítalo Svevo

DESCOBERTA DE FIM DE ANO

Dos livros que li este ano, A CONSCIÊNCIA DE ZENO, de Ítalo Svevo, merece um comentário especial neste blog. Não me lembro de como tive notícia dele. Comprei-o sabendo apenas que era um livro importante e que tinha a ver com psicanálise. Com a leitura – que ainda não concluí – pude ver que se trata de um exame psicológico minucioso da vida do personagem; dos seus sentimentos; e da permanente tentativa de fazer o que devia e acabar sucumbindo ao desejo, aos sentidos, vivendo entre um propósito e um remorso.

Traduzido por Ivo Barroso, cujo site – Gaveta do Ivo – contém magníficos comentários sobre o livro e o autor, faz parte da coleção Saraiva de bolso, com 461 páginas e letra pequena.

Ao longo da leitura fui me lembrando do livro de Sterne, UMA VIAGEM SENTIMENTAL e no blog citado encontrei observação semelhante – o que comprovou minha impressão. Por alguns de seus admiradores, Svevo é chamado de Proust de Trieste, cidade onde ele nasceu, em 19 de dezembro de 1861. Seu verdadeiro nome é Ettore Schmitz, filho de mãe italiana e pai judeu de origem húngara. Teve morte prematura aos 67 anos em consequência de acidente de automóvel.

O livro foi publicado em 1923 e não recebeu aprovação dos críticos. Só obteve sucesso quando James Joyce, que era amigo do autor, afirmou que se tratava de uma obra-prima. Há mesmo quem diga que o personagem Leopold Bloom foi inspirado em Svevo.

Aldeia, 10 de dezembro de 2012

César Garcia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 13 =