Máscaras & velhos carnavais

IMG_20140217_122002Máscaras & velhos carnavais

 *Maria Salete Oliveira

Uma foi guardiã à porta de casa, no sábado de Zé Pereira, anunciando o carnaval, 
Outra acordada muito cedo, 
tomou caldo no Pinto do Galo da Madrugada,
ouviu versos junto à estátua
de 
Ascenso Ferreira, sua companheira brincou de Colombina, juntou-se à endiabrada, enfrentaram dragões.

Uma se extasiou olhando o galo…

Outras choraram de emoção nas ladeiras de Olinda,
ao som da orquestra do Ceroulas, irreverência da Mangueira,
do fogo do Eu Acho é Pouco, 
em Recife fazendo reverências ao Batutas de São José e Blocos Líricos, maracatus e caboclinhos…

Uma viu o amor passar, se prender num olhar,
sobre a cabeça recolhida
assistiu ao primeiro beijo,
aspirou a doçura dos volteios de confetes e serpentinas, assistiu ao frevo rasgado do Vassourinhas,  ao amanhecer descansou no chão.

 *Maria Salete Oliveira –  engenheira química, poeta, ficcionista, cronista