Poesia às Quartas-Feiras

Ontem, descobrimos que não ficara uma pessoa responsável pela poesia, mas não houve problema, as memórias de Teresinha Ponce de León e de Eleta Ladoski salvaram a  situação. Elas nos trouxeram Camões com o seu Soneto Sete Anos de pastor Jacob servia, uma complementando o que a outra esquecia, num dueto muito agradável.

sonetodecamoes

E com o poema veio a história de Jacó, Raquel e Lia, contadas aos pedaços pelas lembranças de cada uma das pessoas ali presentes que haviam lido essa passagem da Bíblia que está em Gênesis, capítulos 28,29 e 30.

Isaac ordenou que seu filho Jacó fosse à Padã-Aram, à casa de Batuel, seu avô materno, e lá escolhesse uma mulher, entre as filhas de Labão, seu tio. Isaac considerava as mulheres cananeias muito mal vistas, indignas de seu filho muito amado.

el-encuentro-de-jacob-y-raquel-william-dyceChegando a Harã, ele parou junto a um poço onde muitas ovelhas e pastores esperavam outros pastores para, então, levantarem uma pedra e os animais, finalmente, saciarem a sua sede. Ele começou a conversar e a perguntar por Labão, seu tio, quando eles mostraram uma moça pastora, chamada Raquel, que estava chegando, filha de Labão. Jacó então tirou a pedra que tapava o poço e deu água para o rebanho do seu tio. Ele apresentou-se como sobrinho do seu pai e beijou-a. Labão correu ao encontro do rapaz e lhe cobriu de beijos, levando-o para casa.

Disposto a trabalhar para Labão, negociou salário da seguinte forma: 7 anos de trabalho pela mão da sua filha Raquel, em casamento. O velho concordou dizendo: É melhor dá-la a você do que a outro qualquer. Jacó serviu sete anos por Raquel, e estava tão apaixonado que mal cumpriu o período cobrou: me dê minha mulher, para que eu viva com ela, Labão fez um banquete, à noite, pegou sua filha Lia, e a levou para Jacó que, no escuro, não percebeu quem era. De quebra, ele deu Zelfa, como serva de Lia. No dia seguinte, Jacó descobriu que era Lia e ficou irado, foi cobrar do sogro o acordo feito e acusá-lo de tê-lo enganado. O sogro justificou que era tradição da região casar a mais velha primeiro. E mais, Termine esta semana de núpcias, e eu lhe darei também a outra em troca do serviço que você me fará durante outros sete anos.

Jacó aceitou. Terminou a semana de núpcias com Lia, e recebeu Raquel como mulher, que levou  Bala, como serva. E mais sete anos de trabalho ele dedicou ao tio Labão.  Apaixonado por Raquel, Lia foi desprezada, mantida à distância.  Javé para compensá-la tornou-a fértil, pariu Rúben, Simeão, Levi e Javé, enquanto Raquel não conseguia engravidar. Desesperada ela disse para Jacó: Ou você me dá filhos ou eu morro”. Colocado em xeque, ele atacou possesso: Por acaso eu sou Deus para lhe negar a maternidade? Raquel então lhe deu a serva Bala e disse: Una-se a ela, para que ela dê à luz sobre os meus joelhos. Bala pariu Dã e Neftali. Lia enfurecida pela sua perda no diferencial fertilidade e suspeitando que não teria mais filhos, usou também a barriga “de aluguel”, da sua serva Zelfa para gerar Gad e Aser.

Diz no Gênesis que Rúben colheu algumas mandrágoras para a sua mãe e que Raquel pediu a Lia que lhe desse algumas, ao que Lia respondeu: Você acha pouco ter tirado o meu marido?Agora quer também as mandrágoras do meu filho?  Raquel enlouquecida pelas mandrágoras, disse: Pois bem! Que ele durma esta noite com você, em troca das mandrágoras do seu filho.  As mandrágoras, frutos  amarelos, carnosos, aromáticos eram chamados de “as maçãs do diabo” , pelos árabes, dizem que pelos supostos efeitos afrodisíacos. Lia não se fez de rogada e correu para os braços de Jacó contando do acerto feito com Raquel. E então Lia gerou o quinto filho de Jacó, Issacar. E depois daí continuou dormindo com Jacó porque nasceu-lhe o sexto filho, Zabulon e em seguida, uma filha, Dina.  Lia, cheia de orgulho, disse, com tantos filhos agora eu dominarei meu marido. Enciumada, desesperada, Raquel não sabia o que fazer com aquela desvantagem. Então Deus a ajudou e ela tornou-se fértil e  deu à luz, um filho, a quem ela chamou de José. Raquel pediu mais a Javé, mais um, pelo menos. Mas parece que não foi atendida.

Certamente voltaremos com outros Sonetos de Camões posteriormente.

                     Jaboatão dos Guararapes, 03 de setembro de 2015

                                               Lourdes Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 3 =